Dramaturgo ou Dramaturga. Aqueles que escrevem o texto da peça de teatro, a dramaturgia.

No geral, são poucos os nomes da dramaturgia que qualquer pessoa consegue citar. A maioria provavelmente mencionaria Shakespeare, tido como o maior dramaturgo da história, Nelson Rodrigues, Ariano Suassuna e, às vezes, Samuel Beckett. Todos homens.

Mas como estamos no mês das mulheres e em sua homenagem, porque a dramaturgia é historicamente, como muitos outros segmentos, um “Clube do Bolinha”, optamos por destacar algumas mulheres que contribuíram e contribuem com o teatro.

Porém, vamos antes falar um pouco da dramaturgia na antiguidade, quando o teatro era (ainda é) um ambiente rico em debate, onde se levantavam questionamentos e se falava sobre a cidade-estado, sobre as guerras, deuses, o livre-arbítrio, e que por isso não era considerado lugar para mulher. Até mesmo os papéis femininos eram encenados por homens naquela época. Por isso, as mulheres acabavam não tendo a oportunidade de se expressar e não se tem notícias de dramaturgas nessa época.

Nos Festivais organizados na Grécia Antiga, se destacaram somente homens. Embora houvesse dezenas de dramaturgos, quatro entraram para a história: os conhecidos Aristófanes, como o maior representante da comédia antiga; Ésquilo, considerado frequentemente como o pai da tragédia por ser o mais antigo dos três trágicos, escreveu Os Persas; Sófocles, autor da famosa trilogia Édipo Rei e da conhecida tragédia Antígona, além do maior vencedor de concursos dramáticos de seu tempo; Eurípedes que foi o menos famoso e o mais recluso dramaturgo à época, mas celebrado por seus diálogos inteligentes e filosóficos, inovou misturando o trágico e o cômico. Também diminuiu o papel do coro e inseriu longos monólogos explicativos em suas peças. 

No período entre a Antiguidade Clássica e o Renascimento, o teatro sofre grandes mudanças e durante a influência da Igreja tem a primeira mulher a escrever um texto dramatúrgico segundo dita a história: Hrotsvitha von Gandersheim, uma freira alemã que viveu no século X e escreveu peças cristãs em latim. Foram oito lendas, seis peças de teatro e dois épicos.

Quando o teatro não religioso é retomado, a produção de textos começa com a tradução dos clássicos gregos, e a primeira pessoa a traduzir os textos de Eurípedes para o inglês é uma mulher, Jane Lumley. Cem anos depois de Lumley traduzir peças, durante o reinado de Charles II na Inglaterra, acontece uma revolução a partir dos trabalhos de Aphra Behn, primeira mulher a ganhar a vida por sua escrita, ela quebrou barreiras culturais e serviu como um modelo literário para gerações posteriores.

No Brasil, apesar do teatro como o conhecemos hoje ter se firmado por aqui alguns séculos depois, são também os homens a dominarem a lista inicial da dramaturgia nacional como Martins Pena, França Junior, Artur de Azevedo, entre outros.

O teatro brasileiro escrito por mulheres emerge, segundo alguns estudiosos, em fins do século XIX com Maria Angélica Ribeiro, a primeira mulher que teria tido um texto seu representado no teatro, Josefina Álvares de Azevedo e Guilhermina Rocha, entre outras provavelmente desconhecidas. Na virada do século, Júlia Lopes de Almeida, Maria Jacintha, seguidas por Hilda Hilst, Raquel de Queiroz, Maria Adelaide Amaral, Leilah Assunção, Consuelo de Castro, Ísis Baião e mais recentemente Grace Passô.

Abaixo, citamos os nomes de algumas dramaturgas, com base em lista colaborativa feita por Layla Loli, da SP Escola de Teatro, que complementamos, no intuito de ajudarmos na projeção de seus trabalhos, tão importantes para a história do teatro em todo o mundo. São elas:

Agatha Christie, Airen Wormhoudt, Alba Brito, Alice Birch, Ana Carolina, Ana Kutner, Ana Lèmon, Ana Pereira, Anamaria Nunes, Andréa Martins, Andréa Terra, Andressa Hazboun, Angela Ribeiro, Angela Ribeiro, Angelica Liddell, Anna Carolina Longano, Aphra Behn, Ave Terrena Alves, Belise Mofeoli, Bonnie Greer, Bruna Varga, Carina Corá, Carinna Morena, Carla Candiotto, Carla Faour, Carla Kinzo, Carla Zanini, Carol Pitzer, Carolina Bianchi, Caryl Churchill, Cecilia Bilanski, Cidinha Da Silva, Cintia Alves, Cíntia Morais, Clara Villares Gallo, Clarice Lissovsky, Claudia Barral, Claudia Schapira, Consuelo de Castro, Cristiane Sobral, Cristiane Wersom, Cristina Flores, Daniela Pereira de Carvalho, Dea Loher, Debbie Tucker Green, Dedé Ribeiro, Denise Stoklos, Dione Carlos, Duda Bernecker, Elenice Zerneri, Elfriede Jelinek, Elisa Lucas, Erica Montanheiro, Fernanda D’Umbra, Fernanda Moreno, Fernanda Suaiden, Françoise Sagan, Gabriela Giffoni, Gabriela Rabelo, Gertrude Stein, Grace Passô, Griselda Gambaro, Guilhermina Rocha, Helena Schoenau, Hélène Cixous, Hilda Hilst, Hrotsvitha von Gandersheim, Inez Viana, Isabel Câmara, Ísis Baião, Janaina Leite, Jane Lumley, Jéssica Barbosa, Jéssica Lusia, Jo Clifford, Joana Dória, Josefina Álvares de Azevedo, Júlia Andrade B. Zocchi, Júlia Balista, Júlia Lopes de Almeida, Julia Spadaccini, Karina Pimentel, Keka Reis, Keli Freitas, Lara Duarte, Layla Loli, Le Conde, Leda Maria Martins, Leilah Assunção, Letícia Bassit, Liana Ferraz, Ligia Carriel, Lígia Souto, Lis Ricci, Livia Piccolo, Louise de Lemos, Lourdes Kauffmann, Luana Miguel, Luciana Lima, Luciana Lyra, Luh Maza, Maja Zade, Mara Carvalho, Marcia Nemer Jentzsch, Marcia Zanelatto, Margarita Stranger, Marguerite Duras, Margaret Hughes, Maria Adelaide Amaral, Maria Angélica Ribeiro, Maria Clara Machado, Maria Fernanda De Barros Batalha, Maria Giulia Pinheiro, Maria Jacintha, Maria Milisavljevic, Maria Shu, Mariana Lima, Mariana Marinho, Marici Salomão, Marie Diaye, Marina Corazza, Marina Meyer, Maruja Bustamante, Mary Shelley, Michelle Ferreira, Míriam Selma, Natália Xavier, Natasha Centenaro, Nina Nóbile, Ntozake Shange, Paloma Franca Amorim, Pamella Martelli, Patricia Oriolo, Patrícia Silveira, Patsy Cecato, Paula Halker, Paula Lice, Priscila Gontijo, Rachel de Queiroz, Rebecca Prichard, Rebekka Kricheldorf, Renata Mizrahi, Renata Pallottini, Samantha Vitena, Saori Tanno, Sarah Kane, Sasha Marianne Salzman, Semy Monastier, Silvia Gomez, Sivan Ben Yishai, Sol Miranda, Solange Dias, Stella Bento, Sybille Berg, Tati Lenna, Thaís Grootveld, Thais Ribeiro, Thaísa Gazelli, Thereza Santos, Tônia Carrero, Vana Medeiros, Vange Leonel, Vika Schabbach, Viviane Juguero, Yael Ronan.

Categorias: blog

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Como podem te ajudar?